Era um belo Gre-Nal. Foram 85 minutos de jogo limpo, com times atacando, o Inter acertando a trave, o Grêmio respondendo nos contra-ataques, um espetáculo lindo para a América conhecer pela Libertadores. Mas dos 41 do segundo tempo em diante, uma pancadaria entre jogadores das duas equipes manchou o primeiro clássico da história da competição. No final, 0 a 0 com fiasco.

Melhores Momentos do Grenal

Os técnicos optaram pela segurança nas escalações. Renato preferiu deixar fora Kannemann, que recém se recupera de lesão, e colocou David Braz como companheiro de zaga. Eduardo Coudet repetiu a escalação que venceu a Universidad Católica-CHI há uma semana. Isso significa que D’Alessandro ficou no banco, bem como Saravia.

Na entrada dos times em campo, uma bela festa com papel e bobina (e até um sinalizador) atrás do gol e foguetório do lado de fora do lado de fora coloriram a festa. 

O Grêmio começou dando as cartas. Colocou-se no campo do Inter e foi parado com faltas. A sequência de um desses lances acabou em escanteio. Alisson cobrou, Diego Souza cabeceou e Lomba defendeu.

Depois do começo acelerado, o Gre-Nal reduziu de ritmo, o que foi bom para os colorados, que tiveram a segunda chance da partida. Após cobrança de escanteio de Boschilia, Matheus Henrique afastou. Edenilson pegou o rebote e arriscou de longe. Vanderlei voou e espalmou.

O Grêmio voltou a ter controle das ações e a impor seu jogo. Suas tentativas, porém, eram contidas pela defesa colorada. Chute, mesmo, só de Lucas Silva, de falta, para fora.

Aos 25, o árbitro Fernando Rapallini deu o primeiro cartão do Gre-Nal. Marcos Guilherme, que estava irritado alegando ter sofrido falta, levantou e acertou Diego Souza em uma dividida. Falta, amarelo e o jogador suspenso para a próxima partida. Não tardou muito para o segundo: aos 30, David Braz deu um carrinho em Guerrero e também recebeu advertência.

Dois minutos mais tarde, o Inter perdeu a melhor chance até então. Uma trama pelo lado esquerdo  terminou em belo lance de Guerrero, que entregou para Boschilia. O meia entrou na área e tentou cavar sobre Vanderlei. A bola foi para fora.

A saída de trás do Inter quase deu errado aos 38. Musto entregou mal um passe, nos pés de Everton. Após rápida troca de passes, Matheus Henrique bateu prensado com a zaga colorada.

Os visitantes tiveram mais uma situação em um contra-ataque. Marcos Guilherme arrancou pela esquerda e serviu Boschilia. Maicon apareceu para salvar.

A volta do intervalo teve uma novidade no Inter. Moisés entrou no lugar de Uendel, que sentiu lesão.

O primeiro chute do segundo tempo foi de Matheus Henrique. Rodinei errou um cruzamento da direita. Caio Henrique lançou Everton, que arrancou, entrou na área e tentou a conclusão. A defesa do Inter salvou, Everton pegou a bola de novo e rolou para fora da área. Matheus chutou alto.

No sexto minuto, Renato fez sua primeira troca. Maicon sentiu dores e saiu para a entrada de Jean Pyerre. 

Aos 15, Guerrero chegou a marcar um gol, mas estava impedido. O técnico gremista mandou a campo Pepê, substituindo Alisson. Aos 18, Jean Pyerre bateu de longe, Lomba espalmou e buscou a própria rebatida, impedindo que Everton aproveitasse. Aos 23, de novo o Inter teve a melhor chance. Edenilson teve espaço na entrada da área e arriscou. A bola quicou, passou por Vanderlei e carimbou a trave.

A resposta do Grêmio foi em grande estilo. Pepê arrancou da direita para a esquerda, passou pela zaga colorada inteira e bateu de dentro da área. Lomba salvou.

Aos 28, D’Alessandro foi chamado, para a vaga de Thiago Galhardo. Cinco minutos mais tarde, a última troca gremista foi de centroavantes: saiu Diego Souza, entrou Luciano.

No lance seguinte, a trave salvou o Grêmio de novo. Boschilia tabelou com Guerrero, recebeu na frente e concluiu. O poste esquerdo salvou Vanderlei.

Aos 38, Bruno Fuchs foi displicente. Tentou um passe de três dedos e deu nos pés de Everton. O atacante passou para Luciano, que, cara a cara com Lomba, tentou por cobertura, para fora.

Briga generalizada

O momento seguinte foi a maior confusão do Gre-Nal. Uma dividida entre Moisés e Pepê deu início a um bate-boca que envolveu atletas dos dois times. Começou o empurra-empurra. Dois minutos depois, Rapallini expulsou Luciano e Pepê pelo Grêmio, Edenilson e Moisés pelo Inter. Imediatamente, começou uma briga generalizada, inclusive com a presença da Brigada Militar. Depois, também foram expulsos Cuesta e Caio Henrique, no campo, além de Bruno Praxedes e Paulo Miranda, que estavam no banco.

Depois, com oito de cada lado, o Grêmio ainda teve um chute na trave com Lucas Silva. Mas nada que alterasse a história do clássico.

LIBERTADORES — 2ª RODADA — 12/3/2020

GRÊMIO (0)
Vanderlei; Victor Ferraz, Pedro Geromel, David Braz e Caio Henrique; Lucas Silva; Matheus Henrique, Maicon (Jean Pyerre, 6/2ºT), Alisson (Pepê, 17’/2ºT) e Everton; Diego Souza (Luciano, 33’/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

INTER (0)
Marcelo Lomba; Rodinei, Bruno Fuchs, Cuesta, Uendel (Moisés, int.); Musto; Marcos Guilherme, Edenilson e Boschilia; Galhardo (D’Alessandro, 29’/2ºT) e Guerrero (Lindoso, 51’/2º).
Técnico: Eduardo Coudet

CARTÕES AMARELOS: David Braz, Alisson, Lucas Silva (G); Musto, Marcos Guilherme e Uendel (I)
CARTÕES VERMELHOS: Luciano, Pepê, Caio Henrique, Paulo Miranda (G); Moisés, Edenilson, Cuesta, Praxedes (I)

PÚBLICO: 53.389 (total)
RENDA: 3.496.713,00
ARBITRAGEM: Fernando Rapallini, auxiliado por Juan Pablo Belatti e Gabriel Chade (trio argentino)
LOCAL: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)

Próximos jogos

Grêmio x São Luiz
Domingo – 15/3, às 11h
Gauchão – Arena

São José x Inter
Domingo – 15/3, às 19h
Gauchão – Passo D’Areia