O prefeito de Bagé emitiu decreto que libera a retomada do funcionamento do comércio do município a partir desta quinta-feira (16). Mesmo sendo a terceira cidade com mais casos de coronavírus no Rio Grande do Sul — possui 28 confirmações —, Divaldo Lara argumenta que Bagé foi a primeira a fazer o distanciamento social no Estado, que ele já surtiu efeito em razão do achatamento da curva de casos e também porque conseguiu estruturar o sistema de saúde para atender os pacientes.

As lojas, que estavam fechadas desde 19 de março, poderão reabrir com horário reduzido, das 13h às 18h30min, e passarão por fiscalização constante para saber se estão cumprindo as medidas sanitárias acertadas.

— Bagé foi o primeiro município do Estado a fazer o isolamento social. Estamos completando 26 dias, tempo suficiente para que pudéssemos estruturar a saúde do município — argumenta Lara.

Segundo o prefeito, dos 28 casos confirmados, 24 estão curados, dois hospitalizados, dois estão em isolamento domiciliar e não há registro de óbitos.

— Não estamos utilizando nenhum respirador. Estamos com sobra de leitos na hotelaria da covid — disse o prefeito. — Com os bons resultados que obtivemos até esse momento, nós estamos compartilhando a responsabilidade do trabalho com o setor comercial e lojista da nossa cidade.

Postos de combustível que estavam operando até às 18h poderão ficar abertos até às 19h. Os mercados que ficavam abertos até às 20h também terão mais uma hora.

As barreiras de desinfecção de veículos nas entradas e saídas vão seguir.

— Estamos confiando que o empresário vai trabalhar não só a questão econômica, mas a de conscientizar os colaboradores e clientes de que a continuidade (do funcionamento do negócio) depende deles também — complementou o prefeito, ao dizer que “podemos ter novas medidas e até fechamento, se necessário”.

Uma cartilha de cuidados sanitários de enfrentamento à covid-19 foi distribuída e terá de ser seguida pelos empresários.

Não há previsão para retomada do funcionamento de escolas, universidades, festas, gratuidade do transporte para idosos, realização de formaturas e reuniões religiosas.

— Estão funcionando as medidas que o governo tomou. Na prática, está comprovado que dá certo — conclui Lara.

Fonte: Gauchazh