Recomendado para reduzir as chances de contágio pelo coronavírus, o uso imperativo de máscaras pela população já foi definido em ao menos 44 municípios do Rio Grande do Sul (ver abaixo). Entre as cidades, a obrigatoriedade vai desde a utilização da proteção apenas no comércio e no transporte público até a sua colocação para qualquer deslocamento pelas ruas.

Na maioria dos municípios, localizados na Região Metropolitana e no Interior, o uso compulsório da anteface já está valendo. Canoas e Santa Maria, por exemplo, deram início, nesta quarta-feira (22), à exigência de máscaras a passageiros e motoristas do transporte público. Em outras cidades, a medida entrará em vigor nos próximos dias — é o caso de Gravataí, onde todos os moradores terão de vestir a proteção a partir de segunda-feira.

Prefeitos têm adotado a normativa como estratégia para diminuir a possibilidade de contaminação diante da reabertura das atividades. Passo Fundo, que liberou a retomada do comércio na última sexta-feira, estabeleceu que a população só poderá sair às ruas cobrindo a boca e o nariz. Força-tarefa formada por Brigada Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros tem atuado na fiscalização.

— De todos os decretos, esse foi o que encontrou maior receptividade. As pessoas realmente aderiram. Nossa intenção não é punir ninguém, mas proteger a todos — afirma o prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo.

Posicionamento semelhante foi tomado por Campo Bom. Por ora, o município não estabeleceu penalidades em caso de descumprimento. Segundo o prefeito, Luciano Orsi, a cidade tem trabalhado na educação dos moradores, com mais de 50 voluntários espalhados pelas ruas. Para lembrá-los da importância do uso, uma máscara gigante será instalada na chaminé do Largo Irmãos Vetter, tradicional ponto na área central.

– É questão de consciência individual. Estamos tentando convencer a população a usá-la – diz Orsi.

Embora prefeituras tenham evitado penas que soem antipáticas à população, algumas impuseram sanções duras. Em Garibaldi, o decreto prevê desde advertência até prisão em flagrante aos reincidentes. O município, contudo, assegura que as ações terão, inicialmente, caráter pedagógico.

Ponderações

Outras capitais do país tornaram obrigatório o uso de máscaras. Em Porto Alegre, um decreto publicado no final da noite desta quarta-feira (22) afirma que o equipamento precisará ser utilizado por usuários e trabalhadores do transporte público.

O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan descarta por enquanto impor o uso da proteção em toda a cidade. Ele recomenda que a população coloque a anteface sempre que sair às ruas. Marchezan teme que a possível medida gere demanda excessiva de máscaras profissionais, destinadas às equipes de saúde.

– Hoje, não vislumbramos, mas isso pode mudar daqui a quatro, cinco dias. Sugerimos que todos usem, mas não obrigamos. Primeiro, para evitar concorrência. Segundo, porque talvez seria difícil cumpri-la neste momento – argumentou Marchezan, nesta quarta.

O uso massivo em todo o Rio Grande do Sul também está fora dos planos de Eduardo Leite. Para o governador, ainda não há itens disponíveis suficientes e em valores acessíveis para condicionar o deslocamento dos gaúchos à utilização da máscara.

– Se for o caso, iremos avaliar se há condições para determinar o uso obrigatório e em quais circunstâncias, mas não podemos vender a ilusão que o uso de máscara resolverá todos os problemas. O distanciamento social é muito mais eficaz na redução da velocidade de contágio – sustenta Leite.

Pneumologista do Hospital do Coração (HCor), em São Paulo, Letícia Kawano-Dourado considera conveniente a determinação da utilização das máscaras. Segundo a pesquisadora, há consenso entre a comunidade médica que, mesmo as proteções caseiras, contribuem para minimizar a propagação do vírus:

– Se todos usassem, reduziríamos muito a transmissão, principalmente em locais de alta densidade populacional. Deveria ser uma medida de conscientização individual, mas, quando ela falha, vem o Estado para torná-la obrigatória.

* Colaborou Paula Chidiac

Algumas cidades exigem o uso em geral, outras em locais específicos

Em toda a cidade

  • Bento Gonçalves
  • Campo Bom
  • Carazinho
  • Colinas
  • Eldorado do Sul
  • Encruzilhada do Sul
  • Espumoso
  • Esteio
  • Farroupilha
  • Frederico Westphalen
  • Garibaldi
  • Gravataí
  • Ivoti
  • Lajeado
  • Passo Fundo
  • Restinga Seca
  • São Sepé
  • Três Passos
  • Uruguaiana
  • Venâncio Aires

No comércio

  • Ametista do Sul
  • Bagé
  • Barra do Ribeiro
  • Cachoeira do Sul
  • Cachoeirinha
  • Caxias do Sul
  • Erechim
  • Estrela
  • Ijuí
  • Morro Reuter
  • Nova Santa Rita
  • Palmeira das Missões
  • Pelotas
  • Planalto
  • Rio Grande
  • São Gabriel
  • São Leopoldo
  • Santa Cruz do Sul
  • Santa Maria
  • Santana do Livramento
  • Três Coroas
  • Vista Alegre

No transporte público

  • Canoas
  • Ijuí
  • Morro Reuter
  • Santa Maria
  • Porto Alegre