O prefeito de Alvorada José Arno Appolo do Amaral assinou novo decreto na tarde desta quinta-feira (30), na qual autoriza abertura do comércio e de serviços no âmbito do município, desde que sejam atendidos os protocolos estabelecidos pelo documento que visa, sobretudo, a preservação da vida.

De acordo com o decreto, a liberação ocorre em função da necessidade das pessoas em trabalhar visando o próprio sustento como o de seus familiares. Segundo o texto, para algumas pessoas só é possível sair para trabalhar se puderem utilizar estabelecimentos como creches e escolas de educação infantil.

O documento, que pode ser conferido na íntegra abaixo, autoriza a abertura e funcionamento dos estabelecimentos comerciais a partir de amanhã (1º de maio), limitada a 30% da capacidade de cada local, de acordo com o Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI). As creches e escolas de educação infantil situadas no município de Alvorada estão autorizadas a funcionar obedecendo o limite citado.

O texto prevê ainda o funcionamento dos estabelecimentos comerciais desde que obedeçam as normas estabelecidas no decreto, como, por exemplo, a higienização regular de superfícies de toque, como corrimãos de escadas e maçanetas. Também devem ser higienizados o piso e as paredes dos locais.

As empresas são responsáveis por manter a disposição álcool gel, em 70%, para utilização de clientes e funcionários. O texto também exige a utilização de máscara de proteção facial, tanto por funcionários, como por clientes no interior dos estabelecimentos.

Por outro lado o novo decreto, assinado pelo prefeito Apolo, mantém a suspensão de eventos em locais fechados independente da quantidade de pessoas, modalidade ou duração. Eventos em locais abertos, com aglomeração de mais de 50 pessoas também são proibidos.

A realização de feiras, sobretudo de produtos oriundos da agricultura, são permitidas, desde que não gerem aglomeração de pessoas. O texto da prefeitura alvoradense autoriza a abertura de salões de festas e áreas afins de condomínios, estabelecendo limite de 30% da capacidade máxima prevista no PPCI do local.

No âmbito do transporte coletivo, fica obrigatório o uso de máscaras de proteção facial, tanto por funcionários como por passageiros. Além disso, os ônibus devem circular com as janelas abertas.

decreto59