Preocupados com as 34 famílias moradoras da ocupação Residencial Castelo, na Vila Santa Isabel, em Viamão, os vereadores Adão Preto Filho (PT) e Guto Lopes (PDT) fizeram nesta segunda-feira (25) um pedido de reunião com o prefeito Valdir Jorge Elias, o Russinho (MDB) para tratar da situação. No dia 14 de maio eles tiveram negada a sua apelação por unanimidade dos desembargadores da 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça Maria Isabel de Azevedo Souza, Marco Antônio Ângelo e Mylene Maria Michel e receberam a ordem de desocupar suas casas no prazo de 90 dias a contar daquela data.

Preto entende que nesta época de pandemia aquelas famílias podem ser incluídas no cadastro social do município e a prefeitura possa ajudá-las na compra do terreno. A liderança da ocupação Carla Renata Fonseca da Silveira disse que eles querem comprar os lotes, pois já construíram suas casas e moram com suas famílias na área há 13 anos. Entendem que a prefeitura possa ajudá-los com uma entrada para a compra terreno e o restante estão dispostos a pagar.

Quem alega ser proprietário do imóvel e ganhou a reintegração de posse é a Madeireira Liam Ltda, embora não tenha apresentado documento durante o processo. Os desembargadores julgaram a ação baseados somente no depoimento oral de um antigo morador da área, Fábio Tofani Macedo, reciclador que se diz locatário do terreno e assistiu a “invasão no dia 25 de abril de 2007”.

Os vereadores entendem que os moradores são munícipes e merecem toda a atenção da Prefeitura Municipal para resolverem a questão. Alegam ainda que existem recursos disponíveis que poderiam financiar a compra dos 27 lotes.

Edição: Marcelo Ferreira – Jornal Brasil de Fato