O Instituto de Cardiologia – Hospital de Viamão (HCV) estava operando para tratar pacientes contaminados pelo coronavírus com 12 leitos em enfermaria, isolado dos demais pacientes internados. Desde sexta-feira, dia 5, o HCV passou a operar com 10 leitos exclusivos de UTI para Covid-19.

Cada leito dispõe de monitor, ventilador (respirador) exclusivo e outros equipamentos, como bomba de infusão para aplicação de medicação de uso contínuo via endovenosa (diretamente na veia). Foram contratados quatro médicos e 20 profissionais para atuarem no setor exclusivo aos pacientes Covid-19.

O prefeito de Viamão, Russinho, foi conhecer a Unidade nova, na manhã desta terça-feira, dia 9. A verba para criar leitos exclusivos de UTI para tratar pacientes com Covid-19 foi viabilizada com recursos dos fundos Nacional e Estadual da Saúde e os leitos estão classificados como referência regional.

O diretor técnico do HCV, João Almir Camargo, falou ao prefeito que o valor de uma diária em leito de UTI pode chegar a R$ 2 mil, mas a população pode ficar tranquila porque todo tratamento é custeado pelo SUS. “O planejamento inicial é manter a UTI Covid-19 por três meses, prazo que poderá ser prorrogado conforme a necessidade”, explica Camargo.

Russinho ressaltou que hoje o Hospital de Cardiologia Viamão tem mais credibilidade. “Agora estamos com uma estrutura importante na cidade, mas é necessário que a população se atente aos cuidados de prevenção ao coronavírus, lavando as mãos com sabão periodicamente e passando álcool em gel. O uso de máscaras de proteção também é muito importante. Estamos passando carro de som nas regiões com maior incidência do vírus para atentar a população a esses cuidados”, expressa o prefeito.

O diretor técnico do HCV destacou que a doença é grave e “após ser contraída, mesmo que o paciente sobreviva, a recuperação é bem lenta e há dificuldade em voltar a caminhar e a respirar normalmente”, encerra Camargo.