Mais de 2 mil idosos amparados com o Benefício de Prestação Continuada – BPC, estão sendo atendidos pelo projeto da Secretaria Municipal da Cidadania e Assistência Social (SMCAS), em parceria com a Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH) junto com Conselho Estadual do Idoso e o Conselho Municipal do Idoso, que visa a alimentação equilibrada com entrega de cestas básicas. Junto com outros 19 municípios, Viamão foi escolhida para receber o custeio do projeto emergencial de atendimento aos idosos em situação de vulnerabilidade social.

O benefício, que é referente ao valor de um salário mínimo, foi o critério utilizado para criar uma lista com idosos mais vulneráveis socialmente. “Fizemos uma ação conjunta na criação de um plano de ação que atendesse as demandas dos idosos mais vulneráveis, identificando com maior precisão as necessidades e atendendo as especificações do Conselho e da SJCDH. Concluímos que no nosso município era necessário dar atenção à alimentação”, disse o secretário da Cidadania e Assistência Social, Leandro Aguirre.

Os kits alimentares são entregues no domicílio de cada idoso, a proposta é proporcionar uma alimentação mais equilibrada e, também, priorizar o isolamento domiciliar. “Estamos atendendo um grupo que é de risco. São pessoas com idade avançada, muitas vezes tendo complicações de saúde e que se encontram em situação de vulnerabilidade”, comenta a assistente social, Jaqueline Barcellos de Souza. Entrega 🍝

Na terça-feira (10), a assistente social Jaqueline de Souza saiu da Secretaria da Cidadania e Assistência Social, no Centro, em Viamão, com destino ao bairro São Cristóvão. Com a lista em mãos, a missão era levar os kits alimentares aos beneficiários da região. Para Maria Lacy Ávila, 75 anos, receber o kit alimentar foi uma surpresa. “Agora fico só em casa e sou só eu. Estou muito feliz por receber a cesta, é uma ajuda necessária”, comemorou a aposentada.Já para Marley Piucco, 60 anos, além da cesta, a visita com a assistente social esclareceu dúvidas sobre o atendimento nos CRAS e no encaminhamento do pedido do benefício. “A gente está passando por um momento difícil, isso faz diferença na nossa vida”, desabafou Marley.

O filho de Noely da Silva Mariano (69), Higino Lemos Júnior, recebeu o kit pela mãe. Para ele, a atitude é válida, ainda mais no contexto de pandemia. “Toda a ajuda é bem-vinda. Sabemos também que não é uma obrigação, e sim um auxílio para os tempos difíceis”, disse Higino. Além da entrega dos kits alimentares, a visita da equipe também serviu como forma de aproximar os idosos dos serviços disponíveis, explicando o referenciamento ao CRAS da região e a forma como o atendimento pode ajudar a resolver situações que envolvem todas as áreas assistenciais.