Mantida a velocidade atual de aumento nas internações por covid-19 em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) de Porto Alegre, o teto máximo previsto de 383 leitos destinados a pacientes com coronavírus poderá se esgotar antes do final deste mês.

Projeções atualizadas diariamente pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS), com base nas hospitalizações da semana, indicam que o pior cenário imaginado para enfrentar a pandemia poderia ocorrer em alguma data entre 14 e 22 de julho. Como se trata de uma projeção, essa estimativa pode variar conforme inúmeros fatores que interferem na taxa de contaminação, como uma maior ou menor adesão ao distanciamento social e o uso de máscaras. 

Para enfrentar o coronavírus, o município desenhou um plano que prevê três níveis de preparação: um inicial, em que 174 leitos poderiam ser destinados a doentes de covid sem necessidade de realizar mudanças significativas na estrutura de saúde da Capital, uma fase intermediária em que 255 vagas poderiam ser ocupadas por pacientes com o novo vírus (mediante novas ampliações, como a iniciada na Santa Casa, e requisição de leitos já existentes) e um cenário extremo de 383 leitos com grande impacto em toda a estrutura de atendimento disponível.

Projeção de quando seriam alcançados os níveis de alerta

Essas datas são estimativas e podem variar conforme a evolução nas internações:

  • Fase inicial (174 leitos) – Entre sexta-feira (3) e sábado (4) 
  • Fase intermediária (255 leitos) – Entre 8 e 13 de julho 
  • Fase avançada (383 leitos) – Entre 14 e 22 de julho 

Pacientes confirmados com covid-19 nas UTIs da Capital

  • 24/6 – 105
  • 25/6 – 112
  • 26/6 – 112
  • 27/6 – 122
  • 28/6 – 137
  • 29/6 – 146
  • 30/6 – 137
  • 1/7 – 142

Fonte: gauchaZH