Diante das perdas de aprendizagem ocorridas ao longo de quase três semestres longe das salas de aula, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) estuda a criação de um quarto ano do Ensino Médio em 2022. Segundo a secretária estadual de Educação, Raquel Teixeira, a principal preocupação é, de fato, com os alunos que hoje estão no terceiro ano e terão pouco tempo para recuperar o que deixaram de aprender neste período.

— Me preocupo particularmente com os estudantes do terceiro ano, que vão terminar o Ensino Médio com um baixo rendimento e poucas oportunidades de aprendizagem e tendem a ir trabalhar no mercado informal. Para eles, estamos avaliando criar bolsas de estudo e oferecer um quarto ano para que se sintam seguros antes de ingressar no mundo do trabalho — anunciou a secretária, durante apresentação, nesta segunda-feira (12). 

Além da oferta de bolsas, que não foi detalhada pela secretária, e da criação de um quarto ano no Ensino Médio, Raquel também afirmou que o governo pagará a inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de todos os estudantes que tiverem interesse em fazê-lo. O valor é de R$ 85 por pessoa.

— Muitos não se inscreveram porque não têm como pagar, e a Seduc fará, então, esse pagamento. As escolas assumirão o custo, por meio da autonomia financeira, e depois nós as ressarciremos — explica a secretária.

Nos últimos meses, a pasta realizou a avaliação diagnóstica Avaliar É Tri com os alunos do segundo ano do Ensino Fundamental ao terceiro ano do Ensino Médio. Dos 690 mil estudantes que deveriam fazer a prova, 524 mil participaram. A presença se reduziu gradualmente conforme a etapa escolar – enquanto o segundo ano do Ensino Fundamental registrou cerca de 70% de participação, o percentual caiu para até 54% no segundo ano do Ensino Médio.

A Seduc também ampliará a carga horária das disciplinas de língua portuguesa e matemática em duas horas para cada uma. Todas as etapas do Ensino Básico terão aumento de horas nessas matérias.

Fonte: GauchaZH

Deixe seu Comentário