O Brasil garantiu mais uma medalha ao derrotar o México por 4 a 1 nos pênaltis, após um empate em 0 a 0 nos 120 minutos de tempo regulamentar e prorrogação, e avançar para a final do torneio de futebol masculino.


A seleção brasileira entrou em campo nesta terça-feira em Kashima com Paulinho no lugar de Matheus Cunha, autor do gol da vitória sobre o Egito nas quartas de final, que se lesionou e não se recuperou a tempo para a partida.

A melhor chance aconteceu quando o lateral-direito Daniel Alves cruzou e o atacante Richarlison cabeceou na trave já na reta final (81), lance que poderia ter diminuído o drama da partida.


Nas penalidades máximas o Brasil comemorou a vitória graças a uma defesa do goleiro Santos em um chute de Eduardo Aguirre e uma bola na trave de Johan Vásquez.


Daniel Alves, Gabriel Martinelli, Bruno Guimarães e Reinier converteram suas cobranças. Carlos Rodríguez foi o único mexicano que balançou a rede da marca de pênalti.


Com o triunfo desta terça-feira em Kashima, o Brasil se vingou da derrota na final para os mexicanos em Londres-2012, quando contava com um jovem Neymar, de 20 anos, na equipe.


Na final de sábado, em Yokohama, a seleção brasileira vai enfrentar o vencedor do duelo entre Espanha e Japão, que jogam também nesta terça-feira em Saitama.


O Brasil, que conquistou o ouro na Rio-2016, vai tentar agora o bicampeonato olímpico.


Agora são sete medalhas olímpicas do futebol masculino na história.


Além desse título em casa, ao vencer a Alemanha nos pênaltis, a seleção masculina também levou a prata em 1984, 1988 e 2012 e o bronze em 1996 e 2008.


Um dia antes, o México (ouro em Londres-2012) vai lutar pelo bronze contra o perdedor da segunda semifinal.


* AFP

Deixe seu Comentário