Mais um ouro foi conquistado pelo Brasil nesta terça-feira (3) nas Olimpíadas de Tóquio. Martine Grael e Kahena Kunze tornaram-se bicampeãs na classe 49er FX da vela ao chegarem em terceiro lugar na medal race. É a terceira medalha de ouro para o Brasil e a 12ª do país. 

Na regata da medalha, a pontuação é dobrada e o tempo é reduzido a 10 minutos, metade do usual. O objetivo é acumular a menor pontuação possível ao final do trajeto. E ao contrário de outras competições, leva-se em conta todas as provas da temporada.

— Eu dei uma olhada no píer onde o pessoal estava torcendo, antes da gente descer com o barco e vi que tinha uma diferença de corrente bem grande — explicou Martina. — A gente conseguiu dar uma largada apertada no começo, posicionamos na linha há poucos segundos da largada, mas conseguimos ir bem livre na direita e acho que ter ido rápido e livre foi a chave hoje porque estava com pouco vento e se você fica no bolo acaba não tendo muito o que fazer —acrescentou.

Além da dupla, só foram bicampeões olímpicos brasileiros em edições seguidas dos jogos Adhemar Ferreira da Silva (1952/1956), e as jogadoras de vôlei Sheilla, Jaqueline, Fabi, Fabiana, Paula Pequeno e Thaisa (2008/2012).


— É uma honra estar no mesmo patamar de nomes que fizeram história do esporte olímpico brasileiro. Ainda não caiu a ficha — afirmou Kahena.


Antes da medal race, o Brasil estava empatado com a Holanda, que somava 70 pontos. Nas regatas anteriores, Kahena e Martine tiveram de enfrentar desafios inéditos, como o fato da escuta ter ficado presa entre a asa e o barco, fazendo com que a dupla terminasse em 15º.


— Nenhuma de nós duas é muito supersticiosa, mas a gente prendeu fitinha, pedimos pra abençoar o barco depois. Umas duas ou três coisas que exigiram que a gente tivesse um recomeço para chegar aqui hoje — conta Martina.


Deixe seu Comentário