Os profissionais do Gabinete Integrado de Cuidado com as Pessoas dentro da Escola (GIP na Escola) já estão nas cinco escolas-polos organizando os atendimentos aos estudantes e às famílias. Algumas escolas iniciaram a acolhida a cerca de 20 famílias, como a Dom Diogo de Souza, no Valença, e a Monte Alegre Caic. 

A Farroupilha e a Araçá estão organizando a agenda e chamando as famílias indicadas pela equipe diretiva para marcar atendimento. A Alberto Pasqualini está reorganizando a equipe e se programando para iniciar os atendimentos a partir do dia 4 de outubro. 

De acordo com as profissionais que já iniciaram a acolhida, os casos encaminhados são de famílias que tiveram suas rotinas alteradas em virtude da pandemia e não conseguiram estabelecer uma nova rotina. “Muitos pais saem cedo para trabalharem e voltam no fim do dia”, explica a assistente social Patrícia Nascimento, “e a rotina da casa acaba ficando solta”.  

Para o coordenador do GIP nas escolas, Sander Severiano, cada polo tem autonomia para resolutividade. “O foco principal é contribuir para a retomada da vida e da rotina escolar. Precisamos acolher, organizar e resgatar essas famílias para que retomem seus sonhos”, ressalta. 

Saiba mais:

– O município contratou, de forma temporária, diversos profissionais para apoiar os estudantes e seus familiares no processo de retomada da vida. Também realizou parceria com o Sebrae para oferecer capacitação para a volta ao mercado de trabalho. 

– São cinco escolas-polos (Alberto Pasqualini, Araçá, Dom Diogo de Souza, Farroupilha e Monte Alegre), com corpo clínico e pedagógico (psicólogo, fonoaudiólogo, professor de educação especial, assistente social, assistente educacional e monitor de educação especial).

– Com foco no atendimento psicológico aos alunos com parecer pedagógico, suporte às famílias em situação de maior vulnerabilidade, desenvolvimento de projetos de assistência voltados para as crianças, adolescentes, jovens e adultos que se encontram em situação de risco. 

– Também será disponibilizado tratamento fonoaudiólogo às crianças com problemas de linguagem, audição, fala, fluência, articulação, deglutição, mastigação e respiração; e, oficinas potencializadoras de aprendizagem. 

Deixe seu Comentário